::: NOVA ORDEM DE GRANDEZA PARA A IDADE DO BLOG :::


Em 2004 o Física na  Veia! saiu da prancheta

 

Parece que foi ontem. Era 2004. E os blogs eram a maior novidade da internet. O UOL havia acabado de disponibilizar uma plataforma de blogs para os seus usuários.

Como educador, logo pensei:

  • Essa nova ferramenta pode turbinar o alcance das minhas aulas. 
  • Adeus ao sinal para começar/terminar a aula: posso ter aulas on line, 24 h por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano, sem nenhum limite de espaço e de tempo.
  • Os temas para os posts (minhas aulas virtuais) podem surgir de qualquer motivação e não de uma programação rígida a ser cumprida. 
  • Dá para ajudar meus alunos mais interessados a ampliarem o conhecimento, em especial trabalhando a Física contextualizada. 
  • Posso ter outros alunos espalhados pelo mundo, sem limite de idade, sem compromisso de provas, todos juntos por aqui pelo simples prazer de ensinar/aprender.
  • ...

A ideia de ter um blog de Física era tentadora e instigante! Passei quase 2004 inteiro planejando uma linha editorial. E em 11 de outubro de 2004 o Física na Veia! saiu da prancheta.

Faça as contas: 2014 - 2004 = 10. Uma década de trabalho! Ou melhor, 10 anos diversão. Tenho me divertido muito por aqui, trocando ideias com gente do Brasil e do mundo que já gostava de Física e até muitos que estão aprendendo a gostar!  

Até ontem a ordem de grandeza da idade do blog era 0. O blog tinha 9.100 anos. Agora já posso comemorar com você: a nova ordem de grandeza da idade do Física na Veia! é 1! 1.101 anos

Ou, como gosto de imaginar os aniversários, foram 10 voltas no Sol de carona com o planetinha azul! Considerando que a distância média Sol-Terra é de 149,6 milhões de quiilômetros e aproximando a órbita da Terra para uma circunferência, cada volta no Sol correponde ao perímetro (2πR) da circunferência de raio R = 149,6 milhões de quilômetros. Fazendo as contas, a cada volta da Terra no Sol viajamos 2πR = 2 x 3,14 x 149,6 = 940 milhões de quilômetros. Como foram 10 anos, já viajei com o blog 10 X 940 milhões de quilômetros, 9400 milhões de quilômetros, ou 9,4 bilhões de quilômetros! E sempre muito bem acompanhado dos meus leitores!   

Por falar em leitores, o blog acumula mais de 3,2 milhões de visitas. Olha só quanta gente já veio aqui para ratificar minha tese de que a Física é pop, slogan que passei a usar aqui no blog quando completamos 1 milhão de visitas! 

Que venham muitas outras voltas. Porque ensinar/aprender Física é uma deliciosa viagem. Nem sempre a estrada é boa. Mas a paisagem é maravilhosa!

E aí, vem comigo?

 


Ah... e tem uma super novidade: a partir de agora o blog roda numa nova plataforma em físicanaveia.blogosfera.uol.com.br! Não se esqueça de favoritar o novo endereço!

O Fìsica na Veia! também continua sendo acessado pelo domínio www.fisicanaveia.com.br.

Todos os posts dessa primeira década de blog continuarão no ar, no endereço antigo: fisicamoderna.blog.uol.com.br.


Já publicado aqui no Física na Veia!





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 17h51





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: BLUE LED: NOBEL DE FÍSICA 2014 :::


Akasaki, Amano e Nakamura, laureados com o Nobel 2014

 

Foram divulgados hoje os vencedores do Nobel de Física 2014. Dividem o prêmio os cientistas japoneses Samu Akasaki, Hiroshi Amano e Shuji Nakamura. Eles são os inventores do LED(1) azul que, segundo a Real Academia de Ciências da Suécia, "permitiu a construção de fontes de luz branca de baixo consumo de energia". 

Em documento oficial, a Real Academia de Ciências destaca que as lâmpadas LED vão iluminar o mundo no século 21. E compara, na ilustração abaixo, a eficiência das diversas lâmpadas ao longo da nossa história (clique na imagem para abrir versão maior).

Clque para abrir versão maior

 

Note que as lamparinas a óleo tinham eficiência de apenas 0,1 lm/W (lê-se lúmen(2) por watt de potência consumida). As lâmpadas incandescentes, que produziam luz a partir de um filamento aquecido, revolucionaram a nossa maneira de iluminar o mundo ao nosso redor durante o século 19 e tinham eficiência de 16 lm/W. As fontes de luz fluorescentes, que produzem luz a partir da excitação quântica de um gás, foram as grandes estrelas no século passado e ainda hoje são bastante utilizadas, com eficiência de 70 lm/W. Mas as promissoras lâmpadas de LED bateram recentemente o recorde de eficiência com 300 lm/W, conseguindo entregar muito mais luminosidade a partir de um consumo bem menor. Esse tipo de fonte de luz, super eficiente, pode ser alimentada até por pequenas baterias carregadas a partir de diminutas placas que aproveitam a energia solar. 

 

:: Qual a importância do LED azul?

Já existiam, há muito tempo, os LEDs vermelho e verde. Mas ninguém conseguia produzir luz azul a partir de um LED. E você deve estar se perguntando: "E daí? Era tão importante assim a existência do LED azul?". E a resposta é positiva. Explico tudo logo abaixo.

Sabemos, a partir dos trabalhos originais de Isaac Newton (1643-1727), que a luz branca é composta pela sobreposição da radiação eletromagnética de todas as cores visíveis, do vermelho ao violeta (confira post aqui). Foi Newton quem, a partir de um prisma triangular de vidro, separou as sete faixas de cores da luz branca solar (vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta). E depois, com um segundo prisma, juntou as cores separadas para reconstituir a luz branca, comprovando a sua real composição.

Thomas Young (1773-1829) e Hermann von Helmholtz (1821-1894) estudaram a visão tricromática, com base nas cores Red (vermelho), Green (verde) e Blue (azul). Nasceu assim o sistema RGB(3) no qual podemos obter as diversas cores visíveis projetando e sobrepondo luz branca que atravessou filtros vermelhos, verdes e azuis. Em outras palavras, somando diferentes níveis de vermelho, verde e azul, conseguimos obter outros tons. A ideia básica está ilustrada abaixo.


Sistema RGB

 

Como já existiam os LEDs vermelho e verde, faltava o azul para conseguirmos obter a luz branca pelo sistema RGB. Não se esqueça de que luz branca é aquela que é constituída por todas as outras cores ou, no sistema RGB, pela combinação dos três canais: vermelho (R), verde (G) e azul (B). 

Com o urgimento do LED azul, criado com sucesso no início dos anos 90 por Akasaki, Amano e Nakamura, foi possível construir fontes de luz "programáveis", capazes de emitir vermelho, verde e azul separados e também combinações desses canais em diversas gradações para produzir outras cores e até a luz branca, muito importante para simular a iluminação solar natural. Entendeu a real importância do LED azul? 

No vídeo do pronunciamento oficial do Nobel de Física 2014 (logo abaixo) há uma demonstração usando uma lâmpada de LEDs. Não deixe de assistir. Clique na imagem abaixo para abrir uma "calculadora RGB" que permite simular como funciona o sistema que soma os três canais RGB para criar as demais cores. Para quem nunca "brincou" com isso, é bem divertido! 

Clique para abrir calculadora RGB noutra tela

Vale destacar ainda que os três pesquisadores japoneses travaram uma verdadeira batalha científica e tecnológica até conseguirem um LED azul funcional. Eles obtiveram sucesso onde outros tantos pesquisadores fracassaram.

O trabalho vale ou não vale um Nobel? Deixe seu comentário.


(1) LED é a sigla em inglês para Light Emitting Diode ou Diodo Emissor de Luz.
(2) Um lúmen é definido como o fluxo luminoso dentro de um cone de 1 esferorradiano emitido por uma fonte luminosa pontual com intensidade de 1 candela. É uma unidade padrão do S.I. - Sistema Internacional de Unidades.
(3) Desde os antigos monitores de tubos (de raios catódicos) usados nas primeiras TV em cores e, mais recentemente, nos computadores, as diversas cores da tela são produzidas a partir do sitema RGB. Provavelmente, na tela do seu computador, smartphone ou tablet, também impera essa ideia para a exibição de cores. O sistema RGB é, sem dúvida, o mais usado até hoje, em especial nas telas.


Para Ver

Vídeo com o pronunciamento oficial do Nobel de Física 2014.


Para saber mais


Já publicado aqui no Física na Veia!

Confira os posts daqui do blog sobre pesquisadores laureados com o Nobel de Física desde 2006: 

Já CURTIU a fanpage do Física na Veia! no Facebook? Não? Então curta!

www.facebook.com/FisicaNaVeia

Fique ligado nos posts do blog e também nas novidades diárias de Física e Astronomia.





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 14h05





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
 



Dulcidio Braz Jr
Físico/Professor, 49 anos

São João da Boa Vista
São Paulo/Brasil
  visitante(s) on line agora
Física na Veia!, um Blog Legal do UOL!
Clique e assine

Busca aqui no Física na Veia!
 
 

Clique para conhecer meu livro de Física Moderna
Sobre Física, você diria que:
Adora
Gosta, mas tem muita dificuldade em aprender
Não gosta, mas reconhece que é importante
Não gosta e acha bobagem
Odeia
Votar Ver resultado parcial





  ESPECIAIS TEMÁTICOS








Clique aqui e dê sua nota para o Física na Veia

Clique aqui e indique o Física na Veia para os amigos!





Add to Technorati Favorites