::: TOUR VIRTUAL PELO OBSERVATÓRIO NACIONAL DO RJ :::


Tela principal do tour virtual pelo ON (clique na imagem para começar)

 

O ON - Observatório Nacional do Rio de Janeiro é uma das instituições de ensino, pesquisa e prestações de serviços mais antigas do Brasil. Foi criado oficialmente por D. Pedro I em 15 de outubro de 1827 como Imperial Observatório do Rio de Janeiro (clique aqui para ver cópia do Ato de Criação autografado pelo imperador).

Com a Proclamação da República, em 1889, passou a ser chamado de Observatório Nacional. Desde 1999 o ON está subordinado diretamente ao MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Você pode conhecer um pouco mais sobre a história desta instituição nesta página

Dentre os diversos serviços prestados à comunidade, cabe ao ON a determinação da hora legal brasileira.

Uma visita ao site do ON rende bons momentos de navegação e aprendizagem. Mas o mais legal é que agora você pode fazer um Tour Virtual ao observatório. É só clicar aqui e esperar o carregamento.

Assim que o sistema estiver 100% carregado, você verá uma tela inicial como a da foto lá no topo do post. O passeio começa automaticamente, com a câmera girando, dando uma panorâmica 360 graus do local. 

Você pode assistir passivamente este giro de câmera ou começar a pilotá-la, o que é obviamente muito mais divertido! Experimente!

Aqui vão algumas dicas:

  1. Assuma o controle clicando com o mouse na tela que para o giro automático imediatamente. Segurando o botão esquerdo do mouse clicado, você pode movê-lo (para esquerda, para direita, para cima e para baixo) para mudar o seu ponto de vista. Se o seu mouse tiver botão de rolagem, muito provavelmente ele poderá ser usado para dar zoom. As setas do teclado também permitem navegação direcional.
  2. No rodapé da tela aparecem botões de controle (figura abaixo) que também permitem a você pilotar o passeio. Os símbolos usados são bastante intuitivos. E, ao colocar o mouse sobre cada botão, uma legenda aparece revelando a sua função. Com o último botão dá para abrir a imagem em tela inteira (full screen), eliminando as bordas e menu do navegador, o que é bem bacana.

  3. Assim que o sistema é carregado, aparece no alto, no meio da tela, o símbolo que destaquei na imagem abaixo.

    Clique nele que, na verdade, é um botão que alterna de visão diurna para visão noturna. 
  4. No canto superior direito da tela aparece um retângulo com uma imagem aérea do obervatório.

    Clicando nas bolinhas vermelhas indicadas na imagem você navega diretamente para várias partes e prédios do observatório. Um pequeno cone vermelho na bolinha correspondente ao local onde você está mostra o ângulo de visão da câmera.
  5. No canto inferior esquerdo da tela principal há uma janelinha que também permite escolher ambientes por onde navegar.

    Role as barrinhas para ter um preview dos vários locais. Com esta ferramenta você também pode ir direto para prédios e salas do observatório.
  6. Fique atento durante a sua navegação. Podem aparecer setas, com a que destaquei na imagem abaixo.

    Estas setas também permitem interatividade. São botões que possibilitam entrar em prédios e salasm dando continuidade ao passeio. 
O mais divertido é ir navegando e, sem medo, clicando no que aparece, e descobrindo o que acontece.

Divirta-se!




Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 11h53





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: FÍSICA MODERNA NA FUVEST 2012 :::


Einstein e Planck, na base da Física Moderna

 

Ontem, na prova de Física da segunda fase do vestibular da Fuvest 2012, a banca examinadora apresentou uma questão que abordava o Efeito Fotoelétrico, brillhante e originalmente descrito em 1905 por Albert Einstein (1879-1955) com base no conceito de quantum (de energia) sugerido em 1900 por Max Planck (1858-1947). Clique aqui para ver a questão (auto-instrutiva) resolvida pelos meus amigos professores e autores do Sistema Anglo de Ensino no Anglo Resolve. 

No extenso e detalhado programa de Física da Fuvest, há apenas uma pequena citação de Física Moderna(1) e que foca exatamente o conceito de fóton. Reproduzo-a abaixo, destacando em negrito o que estou afirmando:

"13. Interações, Matéria e Energia
1. Interações fundamentais da natureza: identificação, comparação de intensidades e alcances.
2. Estrutura da matéria. Modelo atômico: sua utilização na explicação da interação da luz com diferentes meios. Conceito de fóton. Fontes de luz."
(confira o programa completo de Física da Fuvest no Manual do Candidato 2012, página 46).

O curioso é que a questão contemplou justamente este pequeno, porém fundamental detalhe na história da Física, que quase passa despercebido no programa da Fuvest! Vale lembrar que a Física Quântica, uma das duas colunas  de sustentação da Física Moderna, tem o seu nome Quântica ancorado no termo quantum de Planck.

O Efeito Fotoelétrico já foi tema de outras inúmeras questões de vestibulares. Falei especificamente sobre o Efeito Fotoelétrico neste post de 2005, Ano Mundial da Física(2), quando eu já chamava a atenção para o fato de que Física Moderna poderia ser tema de vestibular. E de lá pra cá isso está acontecendo cada vez mais, em diversos vestibulares espalhados pelo Brasil. Neste mesmo texto de 2005 apresento duas questões resolvidas e comentadas como exemplo do que poderia ser cobrado em vestibulares dentro do tema Efeito Foelétrico. E ainda dou o link para um outro post, de aproximadamente um ano antes, sobre uma questão de segunda fase do vestibular da Unicamp 2005 que em janeiro deste ano (Mundial da Física) nos remetia ao trabalho de Einstein que então completava 100 anos. 

Vestibulandos que usam o Física na Veia! para turbinar seus estudos e fizeram a prova da Fuvest ontem certamente reconheceram o Efeito Fotoelétrico que está indicado como assunto "quente" no Índice Especial de Posts para o Vestibular (dentro do último tópico, Física Moderna) que também é link permanente no menu deste blog. 

Mais uma vez este blog antecipou uma questão de vestibular, com em outras tantas vezes. Mas o mais importante de tudo: a Física Moderna está dando pinta de que vai invadir cada vez mais as provas dos mais importantes vestibulares do país. Eu que sou autor de Física Moderna e um grande incentivador de sua inclusão no programa de ensino médio para tirar este atraso de mais de 100 anos, só tenho motivos para comemorar! 

 

:: Física Moderna no Vestibular da Unicamp

O vestibular da Unicamp promete há alguns anos cobrar cada vez mais a Física Moderna. E vem cumprindo a sua promessa. Só que até agora as questões apresentadas foram do tipo auto-instrutiva, ou seja, tudo o que o candidato precisa de teoria, inclusive equações, está dado no enunciado. Como eu já disse acima e ratifico, a questão de ontem da Fuvest também foi assim. O enunciado explicitava as equações, trazia uma base teórica, deixando para o estudante a tarefa de ler, interpretar e resolver a situação-problema proposta, mesmo que não conhecesse o tema abordado.

Mas chegará um momento em que a Unicamp vai trazer uma questão de Física Moderna "a seco", ou seja, sem dicas, sem equações. O candidato então terá que se virar sozinho. Será que isso acontece já na semana que vem, na segunda fase do vestibular da Unicamp 2012? Não dá para saber. Mas a chance é grande. 

E foi por isso mesmo que na semana passada dei algumas aulas extras para os meus alunos de terceira série do ensino médio e também do cursinho, os vestibulandos de 2012, exatamente sobre tópicos de Física Moderna, pensando especificamente no vestibular da Unicamp, segunda fase. Mas quem assistiu minhas aulas extras e prestou Fuvest ontem acabou sendo beneficiado com a questão de Efeito Fotoelétrico. Atirei numa prova e, sem querer, acertei noutra! 

Como o programa de Física da Unicamp (confira-o aqui) contempla mais detalhes de Física Moderna do que o programa da Fuvest (que você já viu acima), "chuto" que na prova de Física da segunda fase teremos uma questão abordando a Física do século 20. Portanto, quem vai prestar Unicamp 2012 segunda fase, que começa já neste próximo domingo, deve estar bastante prevenido quanto a este detalhe ou corre o risco, de cara, de perder uma questão! 

Confira abaixo algumas questões de Física Moderna já cobradas nos vestibulares da Unicamp - segunda fase nos últimos anos. Mas uma vez a minha fonte é o Anglo Resolve, material bem bacana e útil disponibilizado na web pelos meus amigos do Sistema Anglo de Ensino:

(1) Física Moderna é aquela que foi desenvolvida ao longo do século 20 e que, oficialmente, começa em 14 de dezembro de 1900 com uma palestra de Max Planck apresentando o conceito de quantum de energia para tentar explicar a distribuição de energia da radiação térmica, também conhecida como radiação de corpo negro. A Física Moderna está ancorada em duas colunas de sustentação: A Relatividade e a Física Quântica.
(2) 2005 foi escolhido o Ano Mundial da Física para comemorarmos 100 anos do ano de 1905, conhecido como o ano miraculoso de Einstein, quando então o jovem cientista publicou cinco artigos de grande importância e repercussão para a Física Moderna que estava nascendo.


Já publicado aqui no Física na Veia!





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 14h15





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: STEPHEN HAWKING: 70 VOLTAS COMPLETAS AO REDOR DO SOL :::

ted.com

Palestra do prof. Hawking para o ted.com (legendada em português)

 

Ontem o físico britânico Stephen Hawking completou 70 voltas ao redor do Sol de carona com a Terra ou, como costumamos dizer, fez aniversário de 70 anos. 

Professor Hawking dispensa apresentações. Ele é hoje, certamente, um dos cientistas mais conhecidos e reconhecidos no tempo e no espaço pois na vida dele, tanto pessoal quanto profissional(1), tudo nos chama a atenção, do seu trabalho à sua luta contra a esclerose lateral amiotrófica, doença degenerativa rara que acabou fazendo-o prisioneiro em seu próprio corpo. Mesmo quem não se interessa por Física ou por Ciência, sempre para(2) para vê-lo pois, pela sua condição de saúde, é exemplo de vida para todos nós. Mas quem gosta de Ciência sabe ponderar o grande cientista que ele é. 

Stephen Hawking nasceu exatamente no dia da morte de Galileu Galilei (1564-1642), só que três séculos adiante. Isaac Newton (1643-1727), que retomou e ampliou o trabalho de Galileu, nasceu pouco tempo depois que este morreu. Entre 1979 e 2009 Stephen Hawking ocupou a cadeira de professor que era de Newton na Universidade de Cambridge. Curiosas coincidências temporais. 

Por estas e muitas outras, Stephen Hawking tornou-se verdadeiramente um ídolo popular no Reino Unido e também no mundo todo. Pesquisa na Inglaterra, há alguns anos, constatou que ele era à época mais popular entre jovens estudantes do que David Beckham, conhecido jogador inglês de futebol que atuava no badalado Manchester United.

Como figura pop no mundo, professor Hawking esteve virtualmente presente no episódio "They Saved Lisa's Brain" em 1999 na série de desenho animado "The Simpsons".


Stephen Hawking, versão desenho animado, em The Simpsons

E ainda pode jogar poker com Isaac Newton (1643-1727), Albert Einstein (1879-1955) e o personagem ficional Data no Holodeck, um ambiente de realidade virtual holográfica (também ficcional) dentro da nave Enterprise, num episódio da marcante série de TV Star Trek: Next Generation, em 1993. 


Hawking jogando poker com Newton, Einstein e Data

 

Apesar de sua dificuldade de locomoção, Stephen Hawking fez questão de conhecer de perto o LHC - Large Hadron Collider, o maior experimento científico de todos os tempos, quando ele ainda estava sendo construído.

ATLAS/LHC/CERN

Hawking visitando a caverna do experimento ATLAS no LHC/CERN

E um momento que considero muito marcante na vida do professor Hawking foi a sua participação num voo de avião no projeto Zero Gravity que simula a situação de ausência de gravidade e que na Física chamamos de imponderabilidade (confira alguns textos aqui no blog abordando este tema: post 1; post 2; post 3). Ele, que paradoxalmente é um estudioso da gravidade, por alguns minutos pode experimentar a sensação de liberdade que poderia ser a ausência desta força atrativa que, aqui na Terra, sobre o seu corpo debilitado pela doença, atua como a tranca do cadeado da sua prisão. Confira as imagens no video abaixo.


Hawking em voo simulando a ausência de gravidade

Stephen Hawking vive já há alguns anos momentos críticos da sua doença degenerativa. Há relatos de que o movimento dos olhos, um dos poucos que ainda lhe restam e serve de guia para acionar o sintetizador de voz que ele usa para se comunicar com o mundo, começa a falhar. No video (imperdível!) lá do topo do post dá para entender muito bem como o sistema computacional funciona (link direto para a palestra no TED.com). Mesmo assim, ele continua atuante em suas pesquisas, concede entrevistas e palestras e é autor de diversos livros.

É um privilégio para nós vivermos na mesmo época em que vive Stephen Hawking. Podemos acompanhar de perto, praticamente em tempo real, a atuação dele como pesquisador ímpar que já escreveu importantes páginas na história da Ciência.

Que o professo Hawking viva bravamente por muitos e muitos anos ainda! E que continue sendo fonte de inspiração para nós que tanto gostamos de Ciência e que, às vezes, por muito pouco, desanimamos na nossa jornada!


(1) Desculpe-me se fui meio Faustão nesta minha frase! Foi sem querer. Mas agora já foi!
(2) Que falta faz o acento diferencial (pára) que foi abolido pelas novas regras da nossa lingua que assim perdeu parte da sua beleza estética e funcional, infelizmente.


Para saber mais


Já publicado aqui no Física na Veia




Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 13h32





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
 



Dulcidio Braz Jr
Físico/Professor, 49 anos

São João da Boa Vista
São Paulo/Brasil
  visitante(s) on line agora
Física na Veia!, um Blog Legal do UOL!
Clique e assine

Busca aqui no Física na Veia!
 
 

Clique para conhecer meu livro de Física Moderna
Sobre Física, você diria que:
Adora
Gosta, mas tem muita dificuldade em aprender
Não gosta, mas reconhece que é importante
Não gosta e acha bobagem
Odeia
Votar Ver resultado parcial





  ESPECIAIS TEMÁTICOS








Clique aqui e dê sua nota para o Física na Veia

Clique aqui e indique o Física na Veia para os amigos!





Add to Technorati Favorites