::: CERN: DÁ PARA DETECTAR RAIOS CÓSMICOS NA SUA COZINHA! :::


Rastros de partículas de raios cósmicos

 

Hoje, na Escola de Física do  CERN, fizemos um experimento super bacana e histórico: construímos, de forma artesanal, uma Câmara de Bolhas ou Câmara de Wilson. E quem nos deu a receita, passo a passo, foi o sempre simpático e sorridente professor Mick Storr.


Professor Mick Storr e a 'receita' para construção "caseira" da Câmara de Wilson

Com este aparato, que nada mais é do que um recipiente transparente fechado contendo álcool isopropílico resfriado dentro do qual se forma uma nuvem de vapor de álcool saturado (daí o nome), podemos "ver" a passagem de partículas de raios cósmicos (partículas carregadas que vêm do espaço).

Como o vapor está saturado, é instável. Ao ser "tocado" por uma partícula de raio cósmico, condensa. Em outras palavras, vira um gotinha. Na prática não vemos as partículas mas um rastro de gotinhas de álcool que ficam no caminho por onde a partícula passou.

Na correria aqui do curso (agora já são quase meia-noite na França!), vou deixar apenas o vídeo acima que acabei de editar. Depois, com calma, passo a receita completa para você poder fazer, até mesmo na cozinha da sua casa, a sua própria Câmara de Wilson.

Vale lembrar que, por esta técnica original, Charles Thomson Rees Wilson recebeu o Nobel de Física em 1927. Confira aqui.

No CERN, um centro de pesquisa de ponta, as partículas são detectadas por sensíveis dispositivos eletrônicos com enorme precisão no tempo e no espaço. Mas o Câmara de Wilson, apesar de simples, foi na história da física de partículas o primeiro método para "ver" raios cósmicos e outras partículas carregadas. Sensacional! E divertido! 





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 18h59





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: CERN: DIÁRIO DE BORDO (09/SET/2010) :::


Mont Blanc visto do CERN hoje pela manhã

Dependendo das condições climáticas, às vezes dá para ver Mont Blanc daqui do CERN. Hoje, logo cedo, depois do café da manhã, a montanha gelada e pontiaguda apareceu ao longe. Linda!

 

09:00 - 10:00 Aplicações da Física de Partículas


Prof. Luís Peralta

Prof. Luís Peralta (LIP/FCUL) nos falou sobre as importantes aplicações da Física de Partículas à Medicina. Passeamos pela história, dos tubos de Crookes até a moderníssima PET (sigla em inglês para Tomografia por Emissão de Positrons) passando pelos Raios X  e o Cyclotron. Pouca gente associa Física de Partículas à Medicina. Mas é bom que se diga que nesta área de diagnósticos por imagens e os mais recentes tratamentos de câncer a Medicina está ancorada na Física de Partículas. Muitos avanços na área médica são subproduto do que se faz nos laboratórios mais avançados de Física, em especial no CERN.  

10:00 - 10:30 Coffe break

10:30 - 11:30 Aceleradores e Física de Partículas


Prof. Gaspar Barreira

Partindo da ideia simplificada de que "para fazer um acelerador de partículas, a única coisa que preciso é de uma diferença de potencial", o prof.  Gaspar Barreira (LIP) nos falou sobre os diversos tipos de aceleradores de partículas e suas aplicações. Dentre outros, citou o LNLS - Laboratório Nacional de Luz Sincrotron que fica em Campinas, interior de São Paulo, próximo à Unicamp, minha Universidade do coração e onde estão minhas raizes na ciência profissional. Bacana ver daqui da Europa um projeto genuinamente brasileiro que se destaca no mundo!

 

11:30 - 11:45 A Agência Ciência Viva


Rosália Vargas

Rosalia Vargas nos contou sobre os projetos da Agência Ciência Viva que trabalha diretamente com escolas, autarquias, associações científicas e laboratórios de investigação num esforço para melhorar a educação científica e tecnológica em Portugal. A Ciência Viva promove eventos para envolver o público leigo português com a ciência e a tecnologia estimulando um saudável diálogo entre a ciência e a sociedade. E também tem parcerias internacionais na área de divulgação científica, inclusive com o Brasil.

11:45 - 12:30 Sessão de Dúvidas, Perguntas e Respostas 

12:30 - 14:00 Almoço

14:00 - 18:00 Sessão paralela

Visita ao PS/LINAC e ao centro de computação

No LHC, as partículas atualmente aceleradas são prótons. Antes de serem injetados no anel principal, os prótons partem do repouso a partir de uma "garrafinha" que contém Hidrogênio do qual são arrancados os elétros restando apenas o "caroço" central, os prótons propriamente ditos. O início do processo de aceleração se dá no LINAC - Linear Particle Accelerator que, em seguida, entrega os prótons para o PS - Proton Syncrotron, uma acelerador circular. Veja na imagem abaixo a complexa cadeia de aceleradores do CERN. O LHC é atualmente o último estágio, onde os protons batem recorde de velocidade/energia. Darei mais detalhes sobre isso num post futuro que já está engatilhado!



Esquema complexo da cadeia de aceleradores até chegar no LHC

Fomos conhecer o ponto de partida deste incrível experimento de colisões que promete fazer história. Mas já há muita história lá no CERN. Veja só quem inaugurou o PS em 5 de fevereiro de 1960! Preciso dizer que Bohr é um dos meus ídolos da Física Moderna?


Placa de inauguração do PS ratificando a presença de N. Bohr

No caminho para o LINAC encontrei um gato sentado numa cadeira que, segundo o prof. Luís Peralta, ajuda a manter o espaço limpo, sem ratos. Não achei a resposta convincente e continuo acreditando que aquele era o original Gato de Schrödinger que convive pacificamente (e meio morto/meio vivo) com os pesquisadores.


Seria este o original Gato de Schrödinger?

Na foto logo abaixo, a fonte de prótons: uma "garrafinha com H2"! E a seguir o LINAC. Emocionante saber que é ali que todo o processo de aceleração tem início.


A fonte de prótons


O LINAC, onde os prótons começam a ser acelerados

Na foto abaixo o jovem prof. André, nosso guia nesta parte da visita, dentre outas, em meio aos computadores.


Prof. André em meio aos computadores 

Na mesma sala dos computadores, um painel cheio de folhas e esquemas. O que seriam?


Prof. André nos mostrando os esquemas de colimação do feixe

O zoom numa das folhas revela-nos uma curiosidade técnica: os esquemas mostram todo o caminho do feixe de prótons. E cada elemento colimador do feixe é tratado com se fosse um elemento óptico. Assim como na óptica, o sistema pode apresentar aberrações que são corrigidas com se o feixe fosse luz. Só que o feixe é de partículas carregadas e, portanto, as correções são feitas através de campos magnéticos.


Dispostivos colimadores magnéticos tratados como elementos ópticos

 

Atividade prática experimental: construção de utilização de uma Câmara de Nuvens

Orientados pelo prof. Mick Storr (CERN), que nos deu uma "receita" funcional passo a passo, divididos em vários grupos, construímos nossas Câmaras de Nuvem (ou de Wilson).


Prof. Mick Storr nos passando a "receita"


Mão na massa: preparação da base da câmara, com gelo seco


A nossa Câmara de Wilson pronta aguardando a formação da nuvem

Confira mais detalhes no post seguinte onde dedico mais espaço para esta atividade interessantíssima e que nos leva ao início dos processos de detecção de partículas. Tem até um vídeo que fiz mostrando o traço de uma partícula de raio cósmico detectada em noss Câmara de Wilson.

Voltamos na linha do tempo para os primórdios da história da Física de Partículas, fazendo contraponto ao LHC que representa o máximo em tecnologia para acelerar e detectar partículas subatômicas em todo o mundo e em todos os tempos.  E ao final, no quadro negro, o prof. Mick deu um show de história das câmaras para detectar partículas.


Prof. Mick, entusiasmado, dando show no quadro negro

 

19:30 - 22:30 Churrasco com a comunidade portuguesa no CERN.

Os portugueses, nossos gentis anfitriões aqui no CERN, nos convidaram para um churrasco típico português. Mais uma oportunidade de confraternização com toda a comunidade do CERN em língua portuguesa.


Detalhe do enfeite das mesas do churrasco: união dos países


Mesas ao ar livre na chácara onde aconteceu o churrasco

Foto: Joaquina Maria Machado (colega portuguesa da Escola do CERN)

Prof. José Carlos (LIP) mostrando que não entende só de partículas

Foto: Elika Takimoto (colega brasileira da Escola do CERN)

E prof. Vitor Oguri (UERJ) mostrando seu talento ao violão


Álbum de fotos do dia 9/Setembro/2010 (arquivo pessoal)

 





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 18h55





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: CERN: DIÁRIO DE BORDO (08/SET/2010) :::

CERN

Vista aérea do CERN

O tempo aqui no  CERN está voando! Já estamos no quarto dia de trabalhos!

09:00 - 10:00 Introdução à Física de Partículas (3/3)


prof. Augusto Barroso

O prof. Augusto Barroso  (CFTC, U. Lisboa) voltou para a sua terceira (e última) aula sobre o Modelo Padrão.  Com a corda toda, bastante à vontade e vestido com a camiseta do CERN, ele nos deu uma noção sobre as teorias quânticas de campo e nos apresentou as equações que descrevem o Modelo Padrão de Partículas. 

10:00 - 10:30 Coffee break

10:30 - 11:30 Sistemas de Aquisição de Dados


Profa. Clara Gaspar


A profa. Clara Gaspar (CERN) abordou o tema aquisição de dados. Nos experimentos do LHC, as partículas são registradas por vários detectores. Estes registros podem ser gravados definitivamente pelo sistema computacional para depois serem analisados. Só que a quantidade de dados é enorme e a maioria deles é redundante, ou seja, corresponde a eventos já bem caracterizados. Vale a pena gravar tudo o que se "vê" nos detectores? Não vale. Logo, um sistema de trigger analisa os dados praticamente em tempo real e descarta o que não interessa gravando somente o que pode ser "evento novo" e, portanto, de interesse para a pesquisa.  Tivemos acesso aos detalhes deste sofisticado e eficiente sistema. 

11:30 - 12:30 Física Aplicada com Aceleradores (ISOLDE)


prof. João Guilherme Correia

O prof. João Guilherme Correia (ITN Instituto Tecnológico e Nuclear) falou sobre os isótopos radioativos produzidos nos aceleradores ISOLDE e suas aplicações. Os núcleos radioativos são produzidos bombardeando alvos com prótons de alta energia no acelerador PS-Booster.

12:30 - 14:00 Almoço

A tarde e a noite de hoje estão reservadas para momentos de descontração e confraternização. Afinal, ninguém é de ferro, não é mesmo? Bem humorado

14:00 - 19:30 Caça ao Tesouro (Passei em Genebra)

Compramos bilhete válido para toda Genebra (ônibus, bonde elétrico, trem e barco). E fomos do CERN para a estação central de Cornavin com o ônibus 56 fazendo conexão com o bonde elétrico.


Bonde elétrico: transporte eficiente


Largo da Estação de Cornavin

Divididos em grupos, tínhamos um roteiro pré-estabelecido, formatado em 25 perguntas (ou enigmas) sobre Genebra que deveríamos desvendar. 


Nosso grupo de professores em visita à Genebra

A cada reposta certa, descobríamos para onde ir. E assim fomos conhecendo a cidade, inclusive a parte antiga (histórica) que é lindíssima!

E é claro que garimpamos um tempinho para compras, especialmente de chocolate suíço na tradicional Manor.  O duro foi carregar a sacola pesada. Mas na volta ao Brasil a família adorou!


Manor: paraíso do chocolate suíço logo na entrada, na parte térrea


Vista de Genebra a partir do Bureau de Tourisme  


A mesma vista fotografada segunda-feira à noite noutra 'escapadinha'  

 


Belíssima arquitetura de Genebra na Rue de la Corraterie


Em frente ao Gran Theatre Geneve, na Place Neuve


General Dufour em seu cavalo na Place Neuve


Belíssimo Parc des Bastions


As pessoas jogam xadrez nos tabuleiros enormes do Parc des Bastions


Encontrei Piaget no Parc des Bastions

 


Universidade de Genebra logo ao lado do Parc des Bastions


Monumento da Reforma, ainda no mesmo parque


E chegamos à parte antiga da cidade


Portal para entrar na cidade velha e voltar no tempo


Catedral St. Pièrre (sec. XVIII)


Cúpulas da Igreja Ortodoxa


Voltamos ao ponto de partida, do outro lado do lago de Genebra


De barco voltamos para a outra margem onde o passeio começou

Impossível mostrar tudo o que vimos! Nestas poucas fotos, apenas uma ideia do belíssimo passeio por Genebra. Daqui ainda fomos conhecer a sede nas Nações Unidas onde está Broken Chair, um monumento de 12m de altura e 5,5 toneladas que nada mais é do que uma cadeira gigante com uma das pernas dilacerada. Trata-se, na verdade, de um protesto contra o uso militar de minas terrestres que já deixaram aleijadas muitas pessoas, inclusive civis e até crianças, que na explosão sofrerarm ferimentos graves nos membros inferiores.


Broken Chair na frente do prédio da ONU

 


21:00 - 23:00 Jantar do Programa (Hotel Edelweiss - Genebra)

 CERN nos ofereceu um jantar num restaurante típico suíço. Comida e música das boas! E a boa companhia dos colegas professores do Brasil, de Portugal, e dos países africanos, além do pessoal do próprio  CERN


Música típica (ao vivo) para dar um clima especial


Professores da Escola do CERN durante o jantar típico

 

 


 

Álbuns de fotos do dia 8/Setembro/2010 (arquivo pessoal)

Atividades da manhã (aulas)

Atividades da tarde e da noite (passeio e confraternização em Genebra)





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 18h54





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: CERN: DIÁRIO DE BORDO (07/SET/2010) :::

No Brasil é feriado nacional. Mas em Genebra, aqui no CERN/LHC, sem querer fazer trocadilho, estamos acelerados! Mais um dia de muito trabalho! 

E a emoção é forte. Hoje vamos descer 100m abaixo da superfície até a caverna do experimento CMS - Compact Muon Solenoid.

09:00 - 10:00 Princípios da Detecção de Partículas


Profa. Ana Maria Henriques Correia

Utilizando o ATLAS como exemplo, a profa. Ana Maria Henriques Correia (CERN) nos levou a um passeio pela interacção da radiação com a matéria e a concepção de um detector em física de altas energias. Ela nos mostrou como funcionam as diversas "camadas" detectoras constituídas pelo calorímetro electromagnético, pelo calorímetro hadrónico, pelo detector de traços interno e pelo espectrómetro de muns. O assunto é fundamental pois todos os experimentos do LHC tem como proposta detectar a presença de partículas. 
      

10:00 - 10:30 Coffe break


10:30 - 11:30 Introdução à Física de Partículas (2/3)


prof. Augusto Barroso

O divertido prof. Augusto Barroso (CFTC, U.Lisboa) retornou para a sua segunda aula sobre o Modelo Padrão. Deste vez focou as simetrias.

11:30 - 12:30 O Detector CMS e a participação portuguesa 


Prof. André David

Prof. André David (LIP) nos apresentou, de forma apaixonada, o experimento CMS no qual trabalha diretamente. Ele sabe tudo, conhece tudo, todos os detalhes. É ele quem vai nos guiar até a caverna do experimento depois do almoço. 

12:30 - 14:00 Almoço


14:00 - 18:00 Visita ao CMS Electronics Cavern and CERN Control Centre 

Fomos de ônibus até o CMS.


O enorme prédio do CMS

Passamos pela sala de controle onde o experimento é monitorado em tempo real.


Sala de Controle do CMS


Sala de Controle do CMS: de olho na tela

Pegamos o elevador para descermos 100m abaixo do solo até a caverna do experimento. É inacreditavel! Mas vou chegar pertinho do anel do LHC! O experimento está lacrado. Mas no CMS podemos chegar bem perto do túnel, com segurança.


Tomando o elevador. Prof. Augusto Barroso foi conosco.


Computadores e mais computadores...


Com o Fábio, colega da Escola, bisbilhotando...


Nunca mais reclamo que meu computador tem muitos cabos

 
Aqui é o limite. Depois desta porta, radiação letal!

Depois do CMS fomos conhecer o CERN Control Centre, a central que monitora tudo o que acontece no CERN.


Professores chegando no CERN Control Centre 


Prof. Mick Storr nos explicando com funcionam os aceleradores do CERN


Por uma janela de vidro vemos as quatro "ilhas" de controle


As "ilhas" de controle


Uma das "ilhas" de controle


18:30 - 19:30 Revisão do Dia

Novo encontro com os colegas portugueses e brasileiros para discutirmos as dúvidas do dia e trocarmos experiências.


20:15 - 21:15 Vídeo Conferência com Professores Portugueses

No período da noite participamos de uma vídeo conferência com professores em Portugal. O evento foi mediado por Rosalia Vargas da Agência Ciencia Viva.


Álbum de fotos do dia 7/setembro/2010 (arquivo pessoal)





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 18h54





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: CERN: DIÁRIO DE BORDO (06/SET/2010) :::

Você já sabe, do post anterior, como foi a minha chegada em Genebra para participar da Escola de Física do CERN - the European Organization for Nuclear Research.

A partir de agora vou atualizando minhas atividades dia após dia. Fique ligado(a)! E começamos pela segunda-feira, dia 6 de setembro.

09:00 - 09:15 Sessão de Abertura por um representante da Direção do CERN


Prof. Jonathan Ellis

Professor Jonathan R. Ellis (CERN), muito simpático, nos deu as boas vindas e falou (em inglês) sobre a missão do CERN. Era só o começo do curso!

 09:15 - 10:00 Introdução à Física de Partículas (1/3)


Prof. Augusto Barroso

Professor Augusto Barroso (CFTC, U.Lisboa) introduziu o Modelo Padrão de Partículas de forma bem divertida e descontraída. O tema é vasto e o tempo era curto. Mas deu para termos uma visão geral do que virá por aí nas próximas aulas dele.

10:00 - 10:30 Coffe break

10:30 - 11:15 Da Física de Partículas para o Universo - Uma breve introdução à visão actual do nosso Universo


Prof. Pedro Abreu

Professor Pedro Abreu (LIP Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas / IST) fez a conexão entre o micro e o macro cosmos, ou seja, o Universo e a sua evolução a partir do Big Bang quando matéria e anti-matéria surgiram. Por algum motivo ainda em investigação, prevaleceu a matéria. A anti-matéria não vingou. Essa quebra de simetria e que propiciou ao nosso Universo ser como é está na pauta das pesquisas de ponta. Falou ainda da matéria escura, a matéria presente no Universo e que se detecta indiretamente pelos seus efeitos gravitacionais. E abordou ainda a questão da energia escura, algo também desconhecido que está acelerando a expansão do Universo. 

11:30 - 12:15 A Estatística na Física de Partículas e a Participação Brasileira no CERN

 
Prof. Vitor Oguri

Professor Vítor Oguri (Univ. Estadual do Rio de Janeiro, Brasil) abordou a Física Estatística, importantíssimo ramo da Física no estudo das partículas elementares.

12:30 - 14:00 Almoço

14:00 - 18:00 Visita ao LHCb e ao Globe


Eu, todo feliz diante do LHCb

Um dos quatro experimentos distribuídos ao longo do anel de 27 km do LHC é o LHCb. Fomos visitá-lo. Mais uma vez a tecnologia abundante dá um show. A grande máquina é mesmo incrível. 


É tudo muito grande!

É tudo muito grande. Mas, por trás da imensidão do equipamento, pudemos conhecer detalhes dos detectores que atuam neste experimento. 


O Globe por fora

O Globe é, como o nome sugere, um imenso globo recoberto de madeira dentro do qual acontece o Univers de Particules, um show multimídia que fala da origem da matéria e do Universo.   


O Globe por dentro

Depois de um vídeo projetado em várias telas, somos convidados a interagir com o ambiente multimídia e sensível ao toque. 

18:30 - 19:30 Revisão do Dia

E o dia sempre termina com todos os participantes separados em grupos, com os países misturados, para discutirem o que aprenderam e apresentarem dúvidas. É um momento de confraternização mas que ajuda bastante no compartilhamento das experiências e da teoria aprendida.


Álbum de fotos do dia 6/Setembro/2010 (arquivo pessoal)





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 20h06





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: O SONHO DE ESTAR NO CERN :::


Grupo brasileiro da Escola de Física do CERN 2010 (clique para ampliar)

Sexta-feira, 3 de setembro, à noite, embarquei de São Paulo para Frankfurt/Alemanha com conexão para Genebra/Suíça no sábado. E de Genebra, com ônibus fretado pelo CERN - the European Organization for Nuclear Research, vim para Saint Genis Pouilly/França, onde estou hospedado com mais outros 19 colegas professores brasileiros participando da Escola de Física do CERN. Praticamente 24h de viagem a partir da minha casa até o apart hotel na simpática St. Genis. Mas tudo por uma boa causa: conhecer de perto o CERN e o LHC - Large Hadron Collider.

Hoje, domingo, fomos para o CERN por volta das 11h.


Emoção: chegando na porta do CERN 

O evento começou oficialmente às 14h, depois do almoço, já com os 76 professores: 20 do Brasil e 56 de Portugal e países da ÁFrica que falam a nossa língua. 


Professores de Física em Língua Portuguesa

Com abertura do professor Pedro Abreu (LIP/IST), recebemos as boas vindas do prof. Mick Storr (CERN), coordenador da Escola junto ao CERN e em seguida tivemos uma apresentação geral do prof. José Carlos da Silva (LIP) cuja intenção foi aguçar a nossa curiosidade sobre o que vai acontecer ao longo da semana. E ele conseguiu!


Apresentação dos profs. Pedro, José Carlos e Mike

Depois fomos visitar o Atlas, um dos quatro experimentos que acontecem no anel principal do acelerador e depois tivemos uma aula detalhada de como funciona o processo de aceleração e confinamento dos feixes de prótons ao longo do anel de 27 km do LHC com pesquisadores do CMS, outro experimento dentro do LHC. Vimos, num laboratório imenso, o SM-18, o acelerador desmontado, "peça por peça". É de tirar o fôlego! 


Sala de controle do ATLAS 

Prof. Fábio Beig, colega brasileiro da Escola do CERN, chamou-me a atenção para um equipamento high tech na sala de controle do ATLAS e que aparece na foto acima. Será que você o notou? Veja na foto abaixo um zoom deste aparato. Estaria aí todo o segredo do LHC e a reconstituição da evolução da matéria no nosso Universo?


O que estes ingênuos patinhos estão fazendo aí?


Detalhes dos dipolos que confinam os dois feixes de prótons

A semana promete. Fique ligado aqui no Física na Veia! e também no meu Twitter (@Dulcidio). O curso é em período integral e vou cobri-lo. Se houver condições técnicas, postarei/tuitarei as novidades daqui mesmo do hotel e quem sabe direto do CERN.

 

:: Mobilização de pessoas e entidades

Vale lembrar que essa atividade é um programa oficial do CERN para professores de Ensino Médio dos países membros. O Brasil coopera com o CERN mas (ainda) não é membro. Logo, para que nós brasileiros participássemos deste evento, tivemos que entrar na cota dos portugueses que gentilmente nos abriram espaço por iniciativa do LIP - Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas. 

A organização do grupo é coordenada pela Secretaria para Assuntos de Ensino da SBF - Sociedade Brasileira de Física da qual o prof. Nilson Marcos Dias Garcia, docente da UTFPR, é secretário. Ele também foi nosso guia desde a organização do evento, ainda no Brasil, e chegou antes em Genebra para garantir que tudo acontecesse da melhor maneira possível. O  CBPF - Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas também está na organização do evento. 

Nós professores do Brasil, participantes deste curso de capacitação contamos com apoio financeiro do Departamento de Educação Básica da CAPES (através do prof. João Teatini) e do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência e Tecnologia do Ministério de Ciência e Tecnologia (através do prof. Ildeu de Castro Moreira). 


Álbum de fotos do dia 5/setembro/2010 (arquivo pessoal)

Atividades no CERN

Fotos de St. Genis Pouilly / França


Já publicado aqui no Física na Veia!

 





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 18h24





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
 



Dulcidio Braz Jr
Físico/Professor, 49 anos

São João da Boa Vista
São Paulo/Brasil
  visitante(s) on line agora
Física na Veia!, um Blog Legal do UOL!
Clique e assine

Busca aqui no Física na Veia!
 
 

Clique para conhecer meu livro de Física Moderna
Sobre Física, você diria que:
Adora
Gosta, mas tem muita dificuldade em aprender
Não gosta, mas reconhece que é importante
Não gosta e acha bobagem
Odeia
Votar Ver resultado parcial





  ESPECIAIS TEMÁTICOS








Clique aqui e dê sua nota para o Física na Veia

Clique aqui e indique o Física na Veia para os amigos!





Add to Technorati Favorites