::: BRINCANDO DE GALILEU COM UMA CÂMERA DIGITAL :::

Fotos digitais: Dulcidio Braz Jr (com Sony DSC-H1)
Clique!
Lua e Júpiter fazendo pose pra foto (clique para ampliar)

Acabei de olhar pela janela do meu escritório, do terceiro andar, e vi uma cena muito convidativa: a Lua Cheia e Júpiter (foto acima). Não resisti e, com a minha câmera digital, fui brincar de Galileu Galilei (1564-1642), ou seja, observar dois importantes objetos que Galileu observou com a sua luneta em 1609, há 400 anos.

E o resultado, apesar de caseiro e sem telescópio, é muito legal! Veja a Lua Cheia em close logo abaixo. Dá para ver o relevo lunar, com montanhas e planícies que tanto chamaram a atenção de Galileu em sua época.

Abaixo você confere o desenho da Lua Cheia feito pelo próprio Galileu que não tinha câmera para registrar o que estava vendo!

Mas o mais incrível é a imagem abaixo: Júpiter e suas quatro maiores luas! Galileu, espiando com a sua lunetinha caseira, intuiu que os pontinhos luminosos eram satélites do planeta pois a cada dia que observava Júpiter os pontinhos estavam em posições diferentes. Io, Europa, Ganimedes e Calisto são os nomes destes quatro maiores satélites de Júpiter que ficaram conhecidos como satélites galileanos em justíssima homenagem a Galileu e seu pioneirismo em observação do céu com um instrumento óptico. 

E, antes que você duvide que eu consegui registrar Júpiter e seus quatro maiores satélites usando apenas uma câmera digital, simulei o céu agora para a minha latitude/longitude e dei zoom em Júpiter usando o software Stellarium (www.stellarium.org). Veja na imagem simulada logo abaixo o que o software me trouxe!

Note que Io está "coladinho" em Júpiter e não aparece na minha foto. Ele se mistura com o disco planetário. Europa e Ganimedes, vistos daqui da Terra, estão praticamente no mesmo lugar e aparecem como um único pontinho luminoso. Calisto está bem mais abaixo. O outro pontinho, que está entre Europa/Ganimedes e Calisto, é uma estrela de fundo e que, apesar de parecer estar perto do conjunto, está muito mais distante da Terra do que Júpiter e seus satélites.

O desenho abaixo foi feito por Galileu para descrever como viu Júpiter (disco) e seus satélites (asteríscos) em dias diferentes. É mais ou menos o que vemos na minha foto, não? Note que os pontinhos mudam de lugar de um dia para outro indicando que orbitam o disco maior (Júpiter)

______________

Para conseguir estas fotos utilizei o recurso de zoom óptico da câmera (até 12X), controle de abertura, ajuste de sensibilidade (ISO 200) e longa exposição (em torno de 8s no caso da foto dos satélites). E é claro que a câmera estava fixada num tripé. Mas, mesmo assim, é por causa da longa exposição que os pontinhos saem como traços curtos na foto. O efeito de "risco" deve-se à rotação da Terra registrada neste curto período de tempo como se cada astro tivesse sido "arrastado".

É incrível o que dá para fazer com uma câmera digital, não? Será que Galileu, o homenageado do Ano Internacional da Astronomia, um dia imaginou que teríamos em casa uma caixinha para mirar, dar zoom e registrar fotografias do céu?!!


 

 Post comemorativo do Ano Internacional da Astronomia no Brasil


Já publicado aqui no Física na Veia!






Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 19h52





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
 



Dulcidio Braz Jr
Físico/Professor, 49 anos

São João da Boa Vista
São Paulo/Brasil
  visitante(s) on line agora
Física na Veia!, um Blog Legal do UOL!
Clique e assine

Busca aqui no Física na Veia!
 
 

Clique para conhecer meu livro de Física Moderna
Sobre Física, você diria que:
Adora
Gosta, mas tem muita dificuldade em aprender
Não gosta, mas reconhece que é importante
Não gosta e acha bobagem
Odeia
Votar Ver resultado parcial





  ESPECIAIS TEMÁTICOS








Clique aqui e dê sua nota para o Física na Veia

Clique aqui e indique o Física na Veia para os amigos!





Add to Technorati Favorites