::: 'PARABÉNS PARA O UOL, NESTA VIAGEM QUERIDA...' :::

Hoje, 28 de abril, é aniversário do UOL. Já são 11 anos de vida, sucesso e liderança na inernet brasileira!

Considerando que a Terra viaja aproximadamente 942 milhões de km ao redor do Sol a cada ano, o UOL já viajou de carona com o planeta azul 11 X 942 milhões de km = 10.362 milhões de km, ou seja, mais de 10,3 bilhões de km!!! Uma viagem e tanto, com números verdadeiramente astronômicos e que podem ser conferidos nesta notícia.

E desde 2004 o Física na Veia! faz parte do condomínio virtual de blogueiros do UOL. E aparece linkado em vários pontos nobres como na Estação UOL Ciência e Saúde, no UOL Educação e na lista oficial de Blogs Convidados do portal .

Portanto, hoje é dia de festa, para o portal e para todos que de alguma forma, assim como eu, dele fazem parte.

Parabéns ao UOL e toda a sua equipe que tabalha para manter esta gigantesca nave viajando!


Já publicado aqui no Física na Veia!




Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 16h48





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: ANTES DE PROCURAR ETs, ALGUMAS CONTINHAS ... :::


Concepção artística de Gliese e o planeta

Uma notícia do portal UOL revela-nos hoje algo fantástico: a descoberto de um planeta fora do nosso sistema e que pode ter muitas semelhanças com a Terra e até abrigar vida. Veja abaixo um resumo da notícia (os negritos são meus).

Cientistas fazem a primeira descoberta de um planeta habitável fora do sistema solar

Um planeta, capaz de abrigar vida extraterrestre, foi detectado pela primeira vez por uma equipe de astrônomos em um outro sistema planetário.

Girando em torno da estrela Gliese 581, a 20,5 anos-luz de nosso planeta, é o primeiro dos cerca de 200 conhecidos até hoje a "possuir ao mesmo tempo uma superfície sólida e líquida e uma temperatura próxima da encontrada na Terra". A temperatura média desta "super Terra se situa entre 0 e 40 graus Celsius, o que possibilita a presença de água líquida em sua superfície". Ele reúne as características "que permitem imaginar a existência de uma eventual vida extraterrestre", ressaltaram os cientístas envolvidos na pesquisa.

E o "seu raio de 1,5 vez o da Terra" indica "ou uma constituição rochosa (como na Terra), ou uma superfície coberta de oceanos". A gravidade em sua superfície é 2,2 vezes a da superfície da Terra, e sua massa 5 vezes a da Terra.

Descoberto com o telescópio Harps de 3,6 m do Observatório Espacial Europeu (ESO) no Chile, este planeta orbita Gliese em 13 dias da qual está 14 vezes mais próximo do que a distância da Terra ao Sol.

Quero detalhar aspectos físicos dos trechos que destaquei em negrito, ou seja, antes de procurar ETs, vamos à algumas continhas:

1. O planeta está a 20,5 anos-luz de distância da Terra. Um ano-luz, por definição, é a distância que luz percorre em 1 ano. Em outras palavras, viajando à velocidade da luz (~ 300.000 km/s), levaríamos vinte anos e meio para completar a viagem entre a Terra e este planeta. Para termos uma noção de distância, vamos calcular quanto vale 1 ano-luz lembrando que em 1 ano temos 365 dias x 24 h/dia x 3600 s/h = 31.536.000 s. Logo:

 

A distância entre a Terra e o planeta vale 20,5 anos-luz, ou seja, 20,5 vezes a distância acima, ou seja:

 

Em Astronomia, 20,5 anos-luz é logo ali. É muito perto se comparado com outras distâncias ainda maiores, como o diâmetro da nossa galáxia, a Via-Láctea, que é de cerca de 100.000 anos-luz

2. A gravidade superficial de um planeta de massa M e de raio R pode ser calculada por:

 

onde G = 6,67.10-11 N.m²/kg² é a constante universal da gravitação.

Para o planeta extrasolar temos RP = 1,5RT e MP = 5MT. Logo:

 

O cálculo acima ratifica que a gravidade superficial no planeta vale cerca de 2,2 vezes a gravidade superficial na Terra que é de aproximadamente 9,8 m/s². Em outras palavras, a gravidade no planeta será gP = 2,2 x 9,8 = 21,56 m/s².

3. A distância entre o Sol e a Terra é de aproximadamente 149.600.000 km. Logo, o planeta orbita a estrela Gliese a uma distância 14 vezes menor, ou seja:

 

4. A Terceira Lei de Kepler nos revela que:

 

onde T é o período orbital do planeta, a é o semi-eixo maior da sua órbita elíptica que corresponde à sua distância média ao corpo central (estrela, que para a Terra e os outros planetas do Sistema Solar é o Sol e para o citado planeta extrasolar é a estrela Gliese) e K é uma constante que depende somente da massa M do corpo central e vale K = 4p²/M.

Neste caso, T = 13 dias(*) = 13 x 24(h/dia) x 3600(s/h) = 1,12.106 s. Já calculamos a distância entre o planeta e Gliese e, portanto, a = 10.700.000 km = 10.700.000.000 m = 1,07.1010 m.

Usando a Terceira Lei de Kepler podemos "pesar" Gliese, a rigor encontrar o valor da sua massa M. Veja:

 

O valor da massa da estrela Gliese corresponde a mais ou menos 1/3 da massa do nosso Sol, o que está coerente já que é sabidamente uma anã vermelha(**).

 

Os cientistas espiam o Universo de longe. E, mesmo à distância, conseguem tirar medidas a partir das quais outros parâmetros podem ser calculados. Sou suspeitíssimo, mas isso tudo é fantástico, não é mesmo?  


(*) O planeta leva apenas 13 dias para completar uma volta ao redor de Gliese. A Terra gasta 365,25 dias para dar uma volta no Sol. Mas vale lembrar que o planeta extrasolar está muito perto da estrela, onde a gravidade é muito maior. Para não cair em Gliese, ele deve correr desesperadamente, muito mais do que a Terra. Isso explica o período orbital tão curto, ou seja, porque o planeta viaja tao rapidinho.
(**) Estrela "agonizante" e que restou de uma estrela maior que gastou seu combustível, o hidrogênio. Entrou num processo de colapso, encolheu e depois esfriou. Por ser vermelha, deduzimos que sua temperatura superficial é da ordem de 3.000 oC.

Já publicado aqui no Física na Veia!





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 21h20





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: A FÍSICA APLICADA AO DESCOBRIMENTO DO BRASIL :::


O Monte Pascoal visto do mar

Erro de português

Quando o português chegou
Debaixo duma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!Fosse uma manhã de sol
O índio tinha despido
O português

(Oswald de Andrade)

 

Hoje, 22 de abril, é a data  oficial do "descobrimento" do Brasil por Pedro Álvares Cabral, chefe de uma frota de 12 caravelas portuguesas que nesta data, no ano de 1500, aportou em terras brasileiras.

Segundo narrativa na famosa carta de Pero Vaz de Caminha, "E assim seguimos nosso caminho, por este mar, de longo, até que, terça-feira, que foram 21 dias de abril, topamos alguns sinais de terra, os quais eram muita quantidade de ervas compridas (...). E quarta-feira seguinte, pela manhã topamos aves (...). Neste dia, a horas de véspera, houvemos vista de terra! Primeiramente dum grande monte, mui alto e redondo; e doutras serras mais baixas ao sul dele; e de terra chã, com grandes arvoredos: ao monte alto o capitão pôs nome - o Monte Pascoal e à terra - a Terra da Vera Cruz".

Note que Pero Vaz de Caminha cita que 21 de abril de 1500 foi uma terça-feira. Usando a Calculadora da data da Páscoa publicada neste post (08/abril/2007) que explica as ligações da Páscoa com a Astronomia e como encontrar a sua data, descobrimos que o domingo de Páscoa em 1500 caiu no dia 19 de abril (clique no link Calculadora acima e confira). Concluímos que os primeiros sinais de terra surgiram na terça-feira, dois dias após a celebração da Páscoa. E na quarta-feira, 22, veio a confirmação visual pela localização de um monte redondo que recebeu o nome de Monte Pascoal pela proximidade da data da Páscoa.

Pesquisando na internet descobri que o Monte Pascoal, que fica a cerca de 156 km de Porto Seguro, Bahia, tem 586 m de altitude. Então lembrei-em de um outro post (14/março/2007) em que mostrei como encontrar a distância D entre os olhos de um observador e o seu horizonte visível. Na ocasião demonstrei que:

onde R é o raio da Terra (cerca de 6.400 km ou 6.400.000 m) e h é a altura dos olhos do observador em relação ao nível do mar.

Com esta informação podemos calcular qual era a distância da frota de Cabral quando avistaram o Monte Pascoal. A idéia é a seguinte: se houvesse um observador (possivelmente um índio) bem no pico do Monte Pascoal, seus olhos estariam a uma altura h = 586 m acima do nível do mar. E este observador veria a frota de Cabral bem no horizonte, a uma distância D, que é aproximadamente a distância da frota à praia onde iriam aportar em breve e cujo valor queremos saber. É só fazer a conta:

Concluímos que Cabral estava a menos de 90 km da costa brasileira quando avistou o pico do Monte Pascoal.

Para encerrar, uma perguntinha nada a ver com Física: quem disse que Cabral "descobriu" o Brasil? Já existia um povo habitando as nossas terras. E aí sou muito mais Oswald de Andrade e preferia que o índio tivesse descoberto, ou seja, desnudado o branco, apesar de naquela época não haver filtro solar. Mas isso seria problema deles. E que a história teria sido bem mais legal, teria! Concorda?





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 11h18





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
 



Dulcidio Braz Jr
Físico/Professor, 49 anos

São João da Boa Vista
São Paulo/Brasil
  visitante(s) on line agora
Física na Veia!, um Blog Legal do UOL!
Clique e assine

Busca aqui no Física na Veia!
 
 

Clique para conhecer meu livro de Física Moderna
Sobre Física, você diria que:
Adora
Gosta, mas tem muita dificuldade em aprender
Não gosta, mas reconhece que é importante
Não gosta e acha bobagem
Odeia
Votar Ver resultado parcial





  ESPECIAIS TEMÁTICOS








Clique aqui e dê sua nota para o Física na Veia

Clique aqui e indique o Física na Veia para os amigos!





Add to Technorati Favorites