::: COBERTURA DO ECLIPSE LUNAR EM TEMPO REAL :::


Céu azul, limpo, excelente para observar o eclipse

O eclipse lunar já começou. A Lua entrou no cone de penumbra da Terra às 17h18min (horário de Brasília). Mas, como nosso satélite ainda não nasceu aqui no Brasil, ou seja, está abaixo do horizonte, ainda não podemos observar o fenômeno. Mas é só uma questão de minutos.

A Lua vai entrar no cone de umbra (sombra) da Terra às 18h30min (horário de Brasília) e nascerá uns dez minutos depois. A partir daí vamos acompanhar o eclipse visualmente.

Aqui o céu está bem limpo, como pode ser visto na foto acima. O evento promete.

Boas observações para todos nós!


:: 18h45min - Lua nascendo, já com um pedaço dentro do cone de sombra da Terra

:: 18h55min - A Lua continua seu caminho para dentro do cone de sombra da Terra. Bote a cabeça pra fora da janela e veja também ao vivo! E depois volte aqui e deixe um comentário.

 

:: 19h10min(*) - E a Lua vai sendo devorada pela sombra terrestre... Você está vendo ao vivo também?

:: 19h30min - O INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais vai começar a transmitir o eclipse ao vivo diretamente de São José dos Campos - SP. Clique aqui para acompanhar (dentro de instantes).

:: 19h37min - Tá quase! 

:: 19h43min - Falta só um minuto para o início da totalidade do eclipse. E a Lua já está ficando bem avermelhada. Bonito de ser ver!

 

:: 20h02min - Totalidade. Lua vermelha, linda!

:: 20h15min - Cena linda. Lua vermelha e céu limpo, estrelado.

:: 20h45min - Fiz um pit-stop para comer, ninguém é de ferro. Voltei e a Lua já está diferente. É bacana ver a evolução temporal do fenômeno. 

:: 21h15min - A Lua já está saindo do cone de umbra da Terra. Aos poucos o vermelho dará lugar ao já conhecido prateado lunar. A Lua vai reaparecendo aos poucos...  

:: 21h31min - O eclipse evolui para o final da totalidade.

:: 22h09min - A Lua já está quase toda fora do cone de umbra, falta só uma beiradinha. 

:: 22h 16min - Finalzinho da fase de totalidade e algumas nuvens resolveram aparecer. Agora pode nublar, sem problemas!

 

E eu acompanhei o eclipse aqui do meu apartamento, da janela do meu escritório, confortavelmente, de camarote! Dani e Lu estiveram presentes ao vivo. Celi, minha vizinha e tia, também. E cerca de 100.000 visitantes de todos os cantos do país e do mundo acessaram o blog até agora, deixaram comentários e enviaram e-mails.

Perfeito! Evento astronômico lindo, céu limpo, e excelente companhia!


:: E a Lua Ficou Mesmo Bem Vermelha!

Quem está vendo (ou viu) o eclipse lunar na fase de totalidade notou algo bem marcante e típico de eclipses lunares totais: a Lua avermelhada.

Na sombra da Terra, na ausência de luz, a Lua deveria desaparecer por completo. Mas, se ficou vermelha, é porque luz esta faixa de cores de alguma forma entrou no cone de umbra e iluminou a Lua. Mas a pergunta é: como isso aconteceu? A luz fez curva?!

Não, a luz não fez curva. Mas foi desviada por refração quando tangenciava a atmosfera terrestre. Veja a figura abaixo.

A luz solar é chamada de luz branca e é composta por todas as cores visíveis, do vermelho ao violeta. E cada uma dessas cores sofre um desvio diferente que aumenta do vermelho para o violeta. Na condição do eclipse, somente luz nas cores entre o vermelho e o laranja consegue mergulhar para dentro do cone de umbra da Terra e atinge a Lua depois de sofrer desvio na atmosfera. As demais cores não conseguem penetrar no cone de umbra.

Aliás, o azul é predominantemente espalhado pelas partículas da atmosfera e, por isso mesmo, durante o dia, o céu é azul.  

Entendeu o fenômeno belíssimo da Lua vermelha?


(*) Todas as fotos foram feitas usando somente a câmera digital Sony DSC-H1 com zoom óptico de até 12X, exceto a foto das 19h10min na qual usei também um telescópio dobsoniano 180mm.
Observação: Tem várias pessoas pedindo para usar as fotos em posts em seus respectivos blogs dando os créditos do fotógrafo e link do Física na Veia! ...
Pode usar sim PessoALL!!! Para mim é um prazer! E, além do mais, a Lua é de todos nós, não é mesmo?   
Já publicado aqui no Física na Veia!





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 17h04





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: ECLIPSE TOTAL DA LUA NO PRÓXIMO SÁBADO :::

Dario Pires (telescopes.com.br)

Eclipse lunar de 8 de novembro de 2003

Anote aí na sua agenda: sábado que vem, dia 3 de março, teremos eclipse lunar total. Programa bacana, "na faixa", bom para juntar amigos e passar boas horas. Recomendo!

É só ficar de olho na Lua que já vai nascer parcialmente eclipsada do lado leste (L), um pouco deslocada para nordeste (NE), no lado oposto onde o Sol se põe, entre o final da tarde e o começo da noite (confira na figura abaixo a simulação que fiz e que mostra a Lua nascendo, às 18h40min, 10 minutos depois de iniciada a sua entrada na umbra terrestre).


Simulação: a Lua nascendo já eclipsada (detalhe da Lua entrando na umbra)

 

 

:: As fases do eclipse

Um eclipse lunar acontece quando a Lua passa pelos cones de penumbra e de umbra (ou sombra) da Terra, como mostrado na figura abaixo.

 

Existem momentos importantes durante um eclipse lunar e que determinam as fases do fenômeno, como pode ser visto na figura a seguir.

 

Você pode acompanhar o fenômeno. Confira abaixo os horários de cada fase deste eclipse:

  • P1 - Entrada da Lua no cone de penumbra da Terra: 17h18min (Brasília) | 20h18min (UT)
  • U1 - Entrada da Lua no cone de umbra da Terra: 18h30min (Brasília) | 21h30min (UT)
  • U2 - Início do eclipse total (Lua inteira dentro do cone de umbra da Terra): 19h44min (Brasília) | 22h44min (UT)
  • U3 - Fim do eclipse total (Lua começa a sair de cone de umbra da Terra): 20h58min (Brasília) | 23h58min (UT)
  • U4 - Saída da Lua do cone de umbra da Terra: 22h11min (Brasília) | 01h11min (UT)
  • P4 - Saída da Lua do cone de penumbra da Terra: 23h23min (Brasília) | 02h23min (UT)

 

:: A Lua Alaranjada  

Se as condições meteorológicas colaborarem, vai dar para observar o eclipse a olho nu, e sem perigo algum. Na fase de totalidade, apesar da Lua estar inteiramente imersa no cone de umbra, onde não deveria haver luz, ela não vai sumir. É que acontece aí um "truquezinho" interessante de Física: a luz visível, na faixa de baixas freqüências, próximas ao vermelho, sofre desvio na atmosfera terrestre e entra no cone de umbra do planeta. Assim, haverá um pouco de luz avermelhada e alaranjanda onde deveria ser totalmente escuro. E a Lua, iluminada pela luz somente nesta faixa de cor, assumirá um tom de "tijolo escuro", como na foto lá de cima feita pelo Dario Pires, meu amigo e astrônomo amador de Araraquara/SP.  É bonito de se ver!

Para saber mais, consulte (na lista abaixo) os links para outros posts sobre eclipses já publicados aqui no Física na Veia!.


:: Tabelas de eclipses 

Não perca os próximos eclipses


Já publicado aqui no Física na Veia!





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 14h49





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  ::: ERRAR É HUMANO, INSISTIR NO ERRO É FANTÁSTICO! :::

fantatico.globo.com

Captura de trecho da tela do site do programa Fantástico, da Rede Globo

Acabo de ver no programa Fantástico, na Rede Globo, apenas uma parte de uma matéria em que a competente e convincente repórter Glória Maria relatava uma experiência física incrível da qual teve o privilégio de participar: um vôo no avião da NASA - Agência Espacial Americana que é usado para o treinamento de astronautas e que simula a situação física que deve ser chamada de imponderabilidade. Na imponderabilidade nos sentimos sem peso(*) e temos a sensação de estarmos flutuando. Não é difícil, na situação de imponderabilidade, já que acreditamos estar flutuando, acreditarmos também que a gravidade é zero. Há uma sensação muito forte e ilusória de que a gravidade anulou-se. Mas garanto, zero ela não é!

E o nó da questão reside no fato de que:

  1. Se a gravidade fosse zero, nós flutuaríamos. É verdade.
  2. Mas não é porque nos sentimos flutuando que a gravidade é realmente nula!

Percebe a diferença? Há uma grande confusão nessa questão física já tratada aqui no blog inúmeras vezes pois não é incomum encontrarmos matérias nos mais diversos meios de comunicação cometendo essa gafe física da tão mal-falada gravidade zero.

No domingo de 2 de outubro de 2005, o próprio Fantástico veiculou uma outra matéria sobre o mesmo assunto, desta vez apresentada pelo ator Lázaro Ramos que fez o mesmo vôo e também sentiu-se imponderável. Na ocasião fiquei indignado e escrevi um post sobre as fantásticas gafes cometidas. O texto sobre a matéria continua no ar, lá no site oficial do Fantástico, repleto de erros físicos, fantasticamente intocado, deseducando um monte de gente que pode acessá-lo. Aliás, já começa errando no título: Sem Gravidade! Isso é o que se deve chamar de queimar a largada!!!

Eu, ingênuo, gastei um pouco do meu precioso tempo escrevendo para a editoria do programa. É que professor sempre se preocupa com aquilo que no Brasil é uma grande bobagem: ensinar o que é certo! E você quer saber se ao menos recebi uma resposta? Sim, claro que recebi. Poucos minutos depois de mandar meu e-mail, recebi outro de volta. Era um texto padrão, agradecendo pela colaboração e tal... Foi uma resposta automática gerada por um script qualquer que escreve um e-mail para o remetente que tentou se comunicar com os editores do programa.

Mas, ter ou não uma resposta oficial não é o que importa de fato. O que me preocupa é que o Fantástico continua errando. E já diz o ditado: errar é humano, insistir no erro... Penso que ter o poder de veicular uma matéria para diversos lares, repletos de cérebros aprendendo, deveria ser, antes de tudo, uma atitude responsável. Manter no ar um canal de televisão, já que é uma concessão do governo federal, deveria pressupor uma obrigação de pelo menos tentar passar conceitos corretos.

Reconheço que desta vez, pelo menos na parte que vi, a matéria foi bem melhor do que a outra de outubro de 2005. Talvez o texto competente da Glória Maria tenha feito uma boa diferença. Mas ainda temos imprecisões graves. A começar pela chamada (veja imagem lá no topo que diz "Glória Maria Entra em Órbita - Apresentadora do Fantástico participa de vôo da NASA em gravidade zero".

Está certo que na queda-livre do avião, tanto a aeronave quando os seus ocupantes descrevem uma trajetória parabólica que é um órbita em forma de secção cônica previsível pela Lei da Gravitação Universal de Newton (confira detalhes neste post). Mas o termo "órbita" aqui pode induzir ao erro de achar que o avião foi para o espaço, o que não é verdade. Estou sendo muito chato, detalhista? Passei do ponto? Então Vamos dar um desconto. Mas o termo gravidade zero é fatal, imperdoável. O avião estava a poucos quilômetros da superfície, como qualquer outro jato, onde a gravidade tem praticamente o mesmo valor que tem no chão: 9,8 m/s², muito diferente de zero.

Você pode conferir no site do programa o texto Glória Maria na NASA relativo à matéria e que já está no ar.  Ressalto como positivo no texto duas passagens (os negritos são meus e destacam o que eu achei de melhor):

  1. " (...) só existe uma maneira de viver essa sensação: a bordo de um avião especial que faz mergulhos em queda livre."
  2. "O avião da Nasa simula a ausência de gravidade da seguinte maneira: quando ele atinge uma certa altitude, mergulha. Durante aproximadamente 30 segundos, esse mergulho faz com que a gente se sinta sem peso. Sabe quando a gente desce num elevador, bem rápido? Aqui é parecido, só que muito mais forte. "

Nota-se que, desta vez, o texto reforça a idéia de que trata-se de uma simulação e que provoca uma sensação de ausência de peso. E compara com o problema do elevador, o que é bem pertinente. Só que, ainda assim há confusão: se no elevador também há a sensação de ausência de peso, então dizer que só existe uma maneira de viver essa sensação e que é dentro de um avião fica contráditório, concorda? E, para ser mais exato, a sensação de diminuição de peso dentro de um elevador acontece também na subida, desde que o elevador esteja desacelerando (este post já publicado aqui esclarece melhor esse detalhe).

Como professor de Física, meu parecer final é: o Fantástico foi melhor nesta prova do que na outra. Mas ainda não tem nota suficiente para passar de ano. Só para passar na TV. 


(*) Imponderável aqui quer dizer que não pode ser ponderado, ou seja, o seu peso não  pode ser determinado, embora exista.
Já publicado aqui no Física na Veia!





Um forte abraço. E Física na Veia!
prof. Dulcidio Braz Júnior (@Dulcidio)
às 20h17





::
:: Clique e recomende este post para um amigo
::


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
 



Dulcidio Braz Jr
Físico/Professor, 49 anos

São João da Boa Vista
São Paulo/Brasil
  visitante(s) on line agora
Física na Veia!, um Blog Legal do UOL!
Clique e assine

Busca aqui no Física na Veia!
 
 

Clique para conhecer meu livro de Física Moderna
Sobre Física, você diria que:
Adora
Gosta, mas tem muita dificuldade em aprender
Não gosta, mas reconhece que é importante
Não gosta e acha bobagem
Odeia
Votar Ver resultado parcial





  ESPECIAIS TEMÁTICOS








Clique aqui e dê sua nota para o Física na Veia

Clique aqui e indique o Física na Veia para os amigos!





Add to Technorati Favorites